5 dicas para alérgicas a esmalte

Muita gente não deve saber, mas eu sou alérgica a algumas substancias de esmalte. Isso, algumas vezes, já me causou grandes problemas, uma vez que ela quase nunca se manifesta em unhas ou dedos, mas sim em lugares completamente improváveis como olhos, braços e pele da garganta. Outro problema muito comum é com a qualidade das unhas, que tendem a serem mais sensíveis e moles, sem força. Além é claro do esmalte que quase não dura.

Depois de uma conscientização geral, parece que as marcas tem se mostrado cada vez mais dispostas a fazer esmaltes com menos componentes nocivos, mas infelizmente isso ainda não é lei no Brasil, como é em alguns países da Europa, além de EUA e Canadá.

Como eu já sofri muito por causa da alergia, resolvi dar algumas dicas que aprendi ao longo dos 5 anos que a tenho:

1º – Use bases hipoalergênicas

A maioria das bases são hipoalergênicas, mas não vem marcadas na embalagem, então fuja dessas. Fuja daquelas bases tipo Base Cetim, pois elas protegem a unha, mas as nossas precisam de proteção extra. Use apenas aquelas que são marcadas como hipo e que descrevem quais componentes são isentas. Eu tenho gostado muito das bases da Casco de Cavalo e recentemente vi que eles mudaram toda a linha de tratamento. Minha base preferida é a Hipoalergênica, com embalagem roxa. Desde que comecei a usá-la minha unha ficou mais forte e agora comprei a Endurecedora para testar.  Outra dica para a base é colocar um ou dois cravos da Índia dentro do potinho de base, pois eles ajudam a fortalecer.

2º – Não lixe as unhas

Percebi que toda vez que as lixo elas enfraquecem e depois de alguns dias quebram. Quando estiverem muito grande, corte-as e só arrebatem na lixa. Eu prefiro usar as lixas mais velinhas, então costumo pegar uma nova e raspá-las para que percam a grossura.

3º – Use creme para as mãos quando for tirar a cutícula

Muitas manicures dizem que não é bom usar aquelas bacias com água para amolecer a cutícula. Como eu mesma faço as minhas, permaneço usando água e coloco bastante creme para mãos. Não adianta usar outro tipo de creme, eles até ajudam a amolecer, mas não fazem nenhum efeito após. Já os cremes de mão hidratam com mais força. Pelo menos eu senti diferença.

4º – Só use removedor hipoalergênico

Os removedores e acetonas não possuem as 3 substâncias que mais causam alergia (DBP, Tolueno e Formaldeído), mas os hipoalergênicos, normalmente, possuem componentes que tratam as unhas. Eu uso só o da Risque, de embalagem roxa (antes era o da linha Orquídea, de embalagem branca, mas foi descontinuado). Quando usamos um removedor ou acetona que não seja hipo, eles deixam as unhas ligeiramente brancas, mas os específicos não. Ao terminar de remover os esmaltes a unha também não esta fraca. Outra solução é usar os lenços removedores que deixam as unhas bem hidratadas após o uso.

5º – Para fazer o esmalte durar

Os esmaltes hipoalergênicos duram menos nas unhas pois não possuem Tolueno, um plastificante que faz o esmalte “grudar” na unha. Eu aprendi que usar base fosca faz o esmalte grudar, então sempre uso a base normal e por cima passo uma base fosca. Não sei exatamente porque, mas acho que tem a ver com texturas. Por cima do esmalte eu SEMPRE uso extra brilho. Deixo a unha (e até o dedo) bem lambuzada de extra brilho, depois de ter limpado os cantinhos e do esmalte já estar seco, pois aí não preciso limpar novamente.

Essas são minhas dicas especialmente, mas não apenas, para as alérgicas. E vocês tem algum truque na hora de fazer as unhas que são certeiros? Me conta aqui nos comentários!

Bjks

Imagem: Google

*se você for o autor de alguma das imagens utilizadas e deseja que esta seja removida, entre em contato através do formulário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *