Blogagem Coletiva: 5 filmes preferidos

Mais um mês, mais uma Blogagem Coletiva!!! O tema desse mês são os nossos filmes preferidos e como eu adoro o número 5, resolvi indicar essa quantidade rs (clica ali no cantinho a direita para ver todos os blogs participantes 😉 )

Eu juro que tentei escalonar de acordo com a minha preferência, mas foi tão difícil que resolvi colocar por ordem alfabética rs #manias #toc

Então chega de blábláblá e mãos à obras:

Amour: assisti esse filme por causa da maratona do Oscar de 2013. É um filme francês (eu A-MO filmes franceses) e me atraiu muito a história, mas não achei que seria um baque tão grande. O filme expõe o fim da vida de forma tão nua e crua que não tem como não achá-lo maravilhoso. Pra quem não tem ideia do que eu estou falando, aí vai um resumo rápido: um casal de idosos mora sozinhos no centro de Paris. Um belo dia ela sofre um AVC e ele tem de cuidar não só da casa, mas também da esposa enferma. Os dias passam, a situação dela só piora com sequelas sérias e graves, até que o homem não aguento mais toda a pressão psicológica que sofre, além dos danos físicos e emocionais da esposa. É o típico filme que nos faz pensar. Nos faz analisar as relações pessoais com a pessoa que esta ao nosso lado por tanto tempo; com os filhos e até com as pessoas que estão lá simplesmente para nos ajudar no dia a dia. O filme é denso, pesado e lindo. Como todo filme europeu tem uma narrativa lenta, mas que nos envolve de uma forma que não sei explicar. São 2h em que acompanhamos aquele casal definhando. Quando termina, fica o questionamento do que faríamos naquela situação.

Bonequinha de Luxo: eu era adolescente quando descobri esse filme e consequentemente Audrey Hepburn. Desde então só passei a ficar mais aficionada ao filme e a sua estrela principal. Tenho o livro com a história original (o filme é baseado em uma das histórias contidas em “Bonequinha de Luxo” de Truman Capote), o livro dos bastidores do filme (“Quinta Avenida, 5 da manhã: Audrey Hepburn, Bonequinha de Luxo e o Surgimento da mulher moderna” de Sam Wasson), duas versões em DVD (só porque uma delas é de um box comemorativo dos 50 anos do filme), pôster e várias fotos salvas no celular e computador pra usar como meme rs Mas não é só Audrey que me encanta. A fotografia, a música, Tiffany’s, o donuts, o figurino, tudo me encanta, me emociona. Não sei dizer o que eu gosto mais. Ainda tem a personalidade de Holly que se acha a pessoa mais esperta e descolada do mundo, mas no fundo é sonhadora e só deseja ter uma vida melhor. Tem o gato que leva o nome de Cat. Tem o ex-marido da Holly que apesar de ser meio rude, tem um coração ótimo. E como se tudo isso não fosse suficiente, ainda tem NYC e os anos 1960. Esse filme é todo amor. Só amor!

Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban: ou qualquer Harry Potter rs. Esse é tanto meu filme quanto meu livro preferido da saga. Harry não é o rei que salva todo mundo. Ou melhor, não é essa a intenção. Também me atrai porque não existe a eterna briga bom x mau. A verdade é que ninguém parece ser o que é. Pra descobrir a verdade você tem que olhar a fundo, com calma, ouvindo todos os lados. Confesso que o filme me atrai por causa da fotografia (acho a mais bonita de todos os filmes). Amo o soco que Hermione dá no Draco e toda vez eu morro de rir e de orgulho rs. Também tem a forma como Dumbledore ajuda Harry e Hermione sempre mexe comigo, sei lá porquê. E por fim, esse é um filme/livro que pode ser visto sozinho, sem sequência e sem ter visto nenhum outro que você vai entender a história. Vale super a pena (re)ver esse filme!

Meia noite em Paris: Ai gente, quem não ama esse filme? Quando ele foi lançado eu corri pra assistir e vi, sozinha, num  cinema da Paulista numa tarde de dia de semana que estava atoa. O filme não é só lindo por passar em Paris e nos mostrar as grandes época da cidade, mas também por causar reflexão. Acho que todo mundo já teve que responder a famigerada pergunta “Se pudesse viver em alguma outra época, qual seria?”. E todo mundo já saiu por aí falando épocas aleatórias. Antes do filme eu nunca tinha problematizado o fato de que as épocas que eu amo tinham problemas sérios. Lógico que eu sempre soube que as mulheres dos séculos XVIII e XIX sofriam horrores, mas sempre que pensava nas épocas, eu pensava nas roupas, nos bailes, bem fútil mesmo. Depois do filme passei a problematizar horrores. Se você não assistiu, corre ver. Se já viu, corre assistir de novo!

Orgulho e Preconceito: nooossa, nem sei por onde começar a falar desse filme rs Nele tem uma porção de coisas que eu amo! Tem tantos atores bons como Keira Knightley (amooo essa mulher e assisto todos, TO-DOS os filmes que ela faz); Matthew Macfadyen com toda sua imponência, Rosamund Pike e Carey Mulligan dando show de interpretação em papeis tão opostos; tem Donald Sutherland como um papai fofo pra uma época onde os papais não eram fofos rs. Ainda tem a música, o cenário, os figurinos (indicado ao Oscar em 2006) e como se tudo isso não bastasse, a história ainda é baseada em um livro de Jane Austen (talvez a minha escritora preferida). O filme é tão bem feito, a história tão bem adaptada que essa passou a ser a minha história preferida de Jane (antes era Razão e Sensibilidade, que também virou filme me 1996 com elenco maravilhoso entre eles Emma Thompsen e Kate Winslet e nossos queridos Dr House, Hug Laurie e nosso Severo Snape, Alan Rickman). Pra quem não gosta de ler, pode assistir o filme sem medo, afinal ele não deixa pontas soltas e conta a história perfeitamente bem. Pra quem gosta, eu indico ler o livro também, pra ver as histórias mais completas. Já perdi as contas de quantas vezes assisti o filme seja no DVD, na TV ou no Netflix rs

E para vocês, quais são os seus filmes preferidos? Algum esta na minha lista? Os filmes preferidos de vocês seguem uma linha de gênero ou são bem aleatórios. Me contem nos comentários.

Bjks

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *