Indicado ao Oscar 2017: Até o último homem

Continuando com meus posts de indicados ao Oscar, hoje vou falar desse filme que me impressionou já no trailer. A produção é grandiosa e conta a história de Desmond Doss (Andrew Garfield), um jovem de 20 e poucos anos, que depois de ter um trauma na infância decide nunca mais usar violência.

Desmond sonha em ser médico, porém sua família não tem condições financeiras para pagar seus estudos, mas apesar disso o jovem sempre ajuda seus vizinhos quando algo acontece. Em uma dessas ajudas, ele conhece a enfermeira Dorothy Schutte (Teresa Palmer) e imediatamente se apaixona. Ela retribui o amor e passa a ensina-lo questões médicas. Um belo dia, Desmond resolve se juntar ao exército para lutar contra o Japão após o ataque a Pearl Harbor. Lá, ele pretende lutar como medico conseguindo assim seu diploma, porém é no treinamento que seus problemas começam. Por conta da sua fé, Desmond se recusa a pegar em qualquer instrumento que possa matar alguém, incluindo os fuzis usados pelos militares. Depois de muito tentar, e de uma ajuda inesperada, ele recebe a autorização para ir à Guerra sem portar nenhuma arma. Obviamente, ninguém acredita que ele irá sobreviver, mas Desmond mostra-se obstinado a salvar a vida de todos os homens do seu batalhão e até de homens da tropa inimiga.

O filme é baseado na história de Desmond T. Doss e por isso ela parece mais surreal ainda. Para quem gosta de filmes inspiradores e motivacionais, ele é perfeito. Eu tenho um amor ligeiramente macabro por filmes de Guerra e posso dizer que supriu com 100% de certeza meu apreço. As cenas da guerra em si, do campo de batalha, são pesadíssimas e contam com homens destroçados ao meio, além de todos os ferimentos que guerras causam. O som de tantos tiros, tão alto, nos deixa com a impressão de que estaremos surdos ao sair do cinema e nos mostra o quão horrível e inexplicável é uma Guerra.


A direção é de Mel Gibson e posso dizer que ele fez um excelente trabalho. Não encontrei nenhuma falha que possa ser apontada, nem nas cenas de batalha tão intensas e perturbadoras, mas entendo se alguém achá-las fortes ou excessivas. Pra mim, todas elas foram necessárias para entender as atitudes de Desmond e ver como o feito que ele realizou é grandioso.

Quanto as indicações ao Oscar, Andrew Garfield está maravilhoso. Em nada lembra nosso tão amado Peter Parker. Ele realmente te passa verdade e você abraça a causa de Desmond com unhas e dentes, ao ponto de ficar irritada com os superiores do exército que o zombam. Por mim, Andrew leva esse Oscar. Vince Vaugh também está no filme, como o sargento do Batalhão de Desmond, e está muitisimo bem, mas, infelizmente, sem indicações na Academia. Acho que o filme tem grandes chances de levar algumas estatuetas, incluindo as técnicas ligados ao áudio.

Outras informações:

Data da estreia: 26/01/2017

Duração: 140 min.

Direção: Mel Gibson

Vale assistir no cinema: SIM

Nota: *****

Golden Globes Awards: 0/3

Indicações Oscar 2017: 6

Imagens: poster imagem destacada (Divulgação ); Andrew Garfield (reprodução Cinema BH)

2 thoughts on “Indicado ao Oscar 2017: Até o último homem

  1. Adorei muito esse filme, adoro o Andrew e fico muito orgulhosa de ver o quanto ele cresceu como ator desde Boy A, acho ele talentosíssimo. Quanto ao Mel Gibson, realmente um trabalho incrível, mas “minha religião” não permite torcer por ele, hahahha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *