Indicado ao Oscar 2017: Estrelas Além do Tempo

Ok, confesso que o carnaval e a volta as aulas me tiraram do eixo, porém já consegui me organizar novamente e eis aqui mais um post de indicado ao Oscar (que acontecerá no próximo domingo): Estrelas além do tempo. Esse era um filme que eu queria muito assistir pois já tinha lido maravilhas sobre ele.

O filme, baseado no livro, conta a história de 3 mulheres negras, Katherine Goble (Taraji P. Hensen), Dorothy Vaughn (Octavia Spencer) e Mary Jackson (Janelle Monáe), que vivem na segregada Virgina dos anos 1960 e trabalham no departamento de cálculos da NASA. Num dia comum, duas delas são enviadas para uma missão especial em departamentos onde tem de enfrentar o machismo e a própria segregação em que vivem. Enquanto isso, Dorothy luta para ser nominada no cargo que já ocupa informalmente. Cada uma tem suas batalhas pessoais para enfrentar, além, é claro, das profissionais por trabalharem em um lugar majoritariamente masculino e branco. O que eu achei mais incrível e, confesso só descobri quando assisti, é que as três histórias são reais. Elas de fato foram precursoras em suas áreas e são referencia para muitas jovens que desejam crescer na área de exatas.

Além do filme trazer com muita força a questão racial, ele também traz algo tão importante quanto: feminismo. A importância de se falar sobre como o mundo é machista, mesmo em pequenos gestos me deixou extremamente tocada. É importantíssimo ver como mulheres negras deram o passo tão importante, mas é triste perceber que falta tanto ainda para que elas sejam reconhecidas e aceitas socialmente (muito mais do que para nós, brancas). Katherine mostra com muita força isso em dois momentos: quando chega no departamento de Task Force e é confundida com uma faxineira e quando conhece Jim Johnson e ele questiona a capacidade dela de fazer cálculos “como um homem”. Mary também enfrente essa situação quando inicia sua pós-graduação. E a própria Dorothy, que parecer ser a que menos liga para isso, enfrenta a questão justamente com outra mulher, Sra Michael (Kirsten Dunst). A importância desse filme no momento em que vivemos é inegável, principalmente após a eleição de Trump. Espero que muitas pessoas passem a olhar as questões levantadas no filme com muita calma, atenção e que ele ajude a diminuir o véu de machismo e preconceito que vivemos.

O filme esta indicado na categoria de melhor filme e apesar de ter uma história e produção incríveis, acho muito difícil levar a estatueta. Quanto a estatueta de atriz coadjuvante para Octavia Spencer, eu já acho que tem grandes chances.

Outras informações:

Data da estreia: 02/02/2017

Duração: 126 min

Direção: Theodore Melfi

Vale assistir no cinema: SIM

Nota: ****

Golden Globe Awards: 0/2

Oscar: 3 indicações

Imagens: AdoroCinema

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *