Todas as cores

Abuso de poder. Abuso intrarracial. Abuso extrarracial. Abuso sexual. Abuso social. Esses são alguns dos assuntos tratados de forma singela, quase poética, no livro “A cor púrpura.”

Contada no formato de cartas, a história da protagonista nos emociona. Há alguns capítulos pouco verossímeis, mas que não fazem diferença, quando se leva em consideração a forma magistral como a autora começa e termina o livro.

A sequência de injustiças que compõe a trama, que possui alguns alívios intercalados, nos faz questionar bastante sobre a sociedade contemporânea ao livro e sobre a sociedade atual. Pior, nos faz querer entender porque quase nada mudou, mesmo depois de alguns anos de “evolução”.

A justificativa do título é uma lindeza a parte e incentiva o olhar de quem lê para as coisas mais óbvias e simples da vida, aquelas que não se repetem, que raramente prestamos atenção, como o passar do tempo, por exemplo, cronometrado pelas cores e seus diferentes tons. A própria evolução da protagonista é uma sequência que vai do sépia ao colorful.

Ali embaixo tem um link da Amazon Br. Lá (no item “Dê uma olhada”) o site disponibiliza a leitura do primeiro capítulo da história da Celie, contada por ela mesma. Se depois de ler esse trecho, você não ficar intrigada (o) pra continuar com a leitura, então nada do que eu disser fará.

 

Imagem: reprodução Saraiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *